quinta-feira, 29 de julho de 2010

CURIOSIDADES DA LÍNGUA PORTUGUESA

Higiene

esculapio

Muitas palavras da nossa língua derivam das histórias da mitologia grega. Uma delas é higiene. Segundo a mitologia, o deus da Medicina, Esculápio, teve uma filha, a quem deu o nome de Higies, que significa saúde. É desse nome que se formou a nossa palavra higiene. Em latim, Higies recebeu o nome de Salus, que também significa saúde e de onde deriva nossa palavra salutar, por exemplo. Mas tem mais: Higies tinha uma irmã que se chamava Panacéia, que se transformou num substantivo que hoje significa "remédio para todos os males". Como se vê, a família de Esculápio está toda ligada à idéia de cura ou saúde.


Estabanado

Mosquito_Tavao

Dizemos que uma pessoa é estabanada quando ela é muito desajeitada, irrequieta, sem modos. Segundo o etimologista Antenor Nascentes, a palavra estabanado vem do latim tabanus, nome de um inseto cuja picada provoca muita dor, fazendo a vítima agitar-se de desespero. Em português, esse inseto chama-se tavão. Originalmente, portanto, uma pessoa estabanada era uma pessoa que parecia ter sido picada por esse inseto; por isso, agia de modo tão estranho e desajeitado...


Baderna

Marietta_Baderna

É claro que todo mundo sabe o que é baderna. Mas o que pouca gente sabe é que essa palavra deriva do nome de uma mulher. É isso mesmo. Essa palavra veio do nome da bailarina italiana Marietta Baderna, uma artista que esteve no Rio de Janeiro por volta de 1850. Acontece que ela tinha uma legião de fãs que costumavam fazer uma tremenda confusão e gritaria por causa dela. Essa "histeria" dos fãs era tão intensa que o nome dela, Baderna, acabou virando sinônimo de confusão, balbúrdia. No século 19, a palavra baderna já constava do dicionário de Antonio Joaquim de Macedo Soares como substantivo comum. O poster acima é da apresentação ocorrida no Rio em 1850.


Legenda

Monge_lendo_2

A palavra legenda tem uma origem interessante. Nos antigos conventos medievais, o tempo dedicado às refeições não era perdido. Para edificação moral dos companheiros, um dos monges ficava lendo em voz alta a história de um santo ou de um mártir, enquanto os outros comiam. A essa história os monges chamavam de legenda, uma palavra latina que significava “o que deve ser lido”. Com o tempo, aliás, a palavra legenda transformou-se na palavra lenda, por isso, formaram-se duas palavras com o mesmo significado: lendário e legendário. Bem, mas, hoje em dia, legenda significa texto explicativo que vem junto a uma fotografia, mapa, desenho etc. No cinema, legenda é o texto que traduz em português o que os atores de um filme estrangeiro estão dizendo. Mas veja que, em todos os casos, mantém-se o sentido original: legenda é o que deve ser lido.


Deu Bode

Bode

Todo mundo conhece a expressão "dar bode", usada quando queremos dizer que uma situação ficou complicada, acabou em confusão ou mal-entendido. Mas por que falamos do bode nesse caso? O bode sempre esteve ligado às forças diabólicas, como lembra Câmara Cascudo, no livro Coisas que o Povo Diz: "Qualquer velha bruxa de outrora, sabedora de orações e remédios fortes, informava do poder do Bode, sinônimo do diabo, temido e respeitado na ambivalência natural." Aliás, segundo a tradição judaica, o bode era o animal escolhido para carregar todos os pecados de seu povo e, por isso, era ritualisticamente abandonado num deserto. Representando todo o mal, o bode expiatório era ao mesmo tempo vítima e réu. Dar bode, portanto, é ter como resultado uma situação infernal, indesejável, confusa.

O que Maçã e Maçaneta têm em comum
maca
Todos conhecem a palavra maçaneta. Mas pouca gente sabe que essa palavra, na verdade, é o diminutivo de maçã. A maçaneta das portas recebeu esse nome porque antigamente ela tinha quase sempre a aparência de uma pequena maçã.

Coração
coracao
A palavra latina cor (ou cordis), que significa coração, deu origem a várias palavras da nossa língua. Veja alguns exemplos: concordar é palavra formada do latim con + cordis, isto é, com coração. Quando duas pessoas concordam é porque seus corações estão juntos ou unidos. Discordar, por outro lado, é o oposto. Vem do latim dis (separar) + cordis. Quem discorda, portanto, afasta-se do coração do outro. Recordar, por sua vez, quer dizer "trazer de novo ao coração". A expressão "saber de cor" também vem diretamente do latim: saber de coração, isto é, de memória. E, por último, vamos destacar a palavra coragem, que também deriva de cor. Para os antigos romanos, o coração era a sede da coragem.

Boêmio
drunk01-main_Full
Todo mundo sabe o que significa a palavra boêmio: "aquele que gosta de sair à noite, de viver nos bares, bebendo e dançando". Pois bem. Essa palavra nos veio do francês bohémien. Os franceses usavam essa palavra para designar os ciganos oriundos da Boêmia, região da antiga Tchecoslováquia, que gostavam de festas noturnas, de cantar, dançar, sem preocupação com o dia seguinte. O sentido dessa palavra depois generalizou-se e passou a indicar qualquer pessoa que tivesse esses hábitos. E foi com esse sentido geral que ela entrou na língua portuguesa.

Pôr a mão no fogo por alguém
cannon

Em nossa língua, há várias expressões muito interessantes. Uma delas é pôr a mão no fogo por alguém. Você já deve ter ouvido alguém dizer, por exemplo, ponho a mão no fogo por essa pessoa, querendo dizer que tem total confiança nessa pessoa. Essa expressão nasceu há muitos séculos, lá na época da Idade Média, na Europa, quando havia uma prova chamada “julgamento de Deus”. Para saber se um acusado era realmente culpado, as autoridades obrigavam-no a pôr as mãos no fogo. Se ele fosse inocente, acreditava-se que Deus não permitiria que ele se queimasse muito nem que sentisse dor. Mas se ele gritasse de dor ou se a mão ficasse muito queimada... era considerado culpado. Portanto, “pôr a mão no fogo” era prova de confiança em Deus. Mais tarde, para mostrar que tinham muita confiança em alguém, as pessoas começaram a dizer que, por ela, poriam a mão no fogo. E essa expressão vem sendo usada até hoje, no sentido simbólico, é claro, pois não se tem notícia de uma pessoa que tenha posto, de fato, a mão no fogo por alguém...


Moeda

moeda

A palavra moeda tem origem na mitologia romana. Ela vem do latim Moneta, nome de uma deusa dos romanos. No templo dessa deusa, eram feitos os pequenos objetos arredondados de ouro, prata ou cobre que serviam de dinheiro. Em homenagem à deusa, esses objetos receberam o nome de moneta, que, em português, transformou-se em moeda. Mas moneta ainda está presente, por exemplo, na palavra monetário.


Astro Desastrado

As palavras astro, desastrado e desastre têm algo em comum. Os antigos acreditavam que os astros eram responsáveis pelo destino das pessoas. Tudo o que acontecia podia ser atribuído a eles. Foi dessa crença que nasceu a astrologia. Um desastrado (que vem do italiano disastrato) significava alguém que recebeu a influência negativa de um astro. E desastre significava algo ruim produzido pela má influência de um astro.


Músculo

ratinho

A origem da palavra músculo é bem curiosa. Ela vem do latim musculus, que significa ratinho. Isso mesmo. Musculus, em latim, significa rato pequeno ou ratinho. Como é que isso acabou significando o músculo do corpo? É que observando o movimento dos músculos, principalmente dos braços e das pernas, os antigos romanos achavam que eles pareciam ratinhos se mexendo pra cá e pra lá. E por isso começaram a chamar essas partes do corpo de musculus. E assim ficou. Até hoje.


Hipócrita

mask

Que a palavra hipócrita significa fingido ou falso, todo mundo sabe. Mas o que pouca gente conhece é a história interessante dessa palavra. Ela vem do grego hypocrites, que designava, na antiga Grécia, os atores de teatro, pois durante as apresentações eles fingiam ser outras pessoas. E o que eles faziam no palco era uma "hipocrisia", que significava fingimento. Essa palavra também é de origem grega e era aplicada à ação de interpretar uma peça teatral. Com o tempo, hipócrita passou a indicar qualquer pessoa falsa ou fingida, e foi com esse sentido que entrou em nossa língua.


Capeta

diabo

Nas antigas encenações de dramas religiosos, o diabo geralmente era representado como um ser humano com traços de animal, quase sempre um bode. Por isso, ele tinha um rabo, que procurava esconder envolvendo-se numa capa. Dessa forma, no teatro, a figura do diabo estava sempre associada a um personagem que usasse uma capa pequena, isto é, uma capinha ou capeta. É isso mesmo. Capeta, na origem, é o diminutivo de capa. E como o diabo sempre vestia uma capeta, passou a ser chamado também de capeta. Foi assim que a palavra capeta deixou de significar uma capinha e passou a ser um outro nome do diabo.


Calendário

calendar

A palavra calendário veio do grego kalein, que significa chamar em voz alta, convocar. Em latim, transformou-se em calendae, significando o primeiro dia do mês. É de calendae que surgiu nossa palavra calendário, que adquiriu o sentido genérico de marcação do tempo (meses e dias do ano). Calendas era o primeiro dia do mês entre os romanos. Esse termo provavelmente veio do costume romano de chamar ou convocar o povo no primeiro dia de cada mês, quando o pontífice informava sobre os festivais e dias sagrados que deviam ser observados. Só muito tempo depois, o calendário oficial de Roma passou a ser afixado em lugares públicos, onde todo mundo podia ver.

Fonte : Click (douglastufano.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário